Empreendedorismo 1 – Como alavancar seu negócio através de uma mentalidade correta

thumb

Por que uma pessoa deveria empreender?

Fazer aquilo que se ama e ainda ganhar por isso. Não seria uma vida perfeita?

Acima de tudo, eu acredito que seja essencial viver de acordo com o nosso propósito. Grande parte dos problemas do mundo giram em torno da insatisfação que as pessoas sentem em suas vidas.

Não é possível viver bem tendo mais de 40 horas semanais de infelicidade. Não é possível agir altruisticamente se estamos sempre sentindo que nos falta algo na vida.

Empreender não é fácil, mas também passa longe do impossível. O problema é que estamos condicionados a não empreender. Fomos educados a seguir o caminho da ovelha e não a do pastor.

Um do objetivos principais do nosso mini-curso de empreendedorismo será destravar a visão que temos do mercado, do dinheiro e do trabalho!

Você está pronto?

Etapa 1: Definindo o seu negócio

01paixoes

Os bons negócios são compostos da intersecção de dois grupos: coisas que queremos fazer, mais as coisas que suprem os desejos das pessoas.

Não adianta você ser o melhor jogador de damas se ninguém precisar da sua habilidade.

A boa notícia é que o desejo é relativo e, na maioria das vezes, pode ser gerado e inserido nas pessoas. Não estou falando de mensagens subliminares ou controle da mente, mas sim a de transmutar os desejos já existentes.

Eu espero que o seu negócio já se baseie em cima de coisas que você goste ou seja bom, então vamos falar mais do segundo requisito.

Existem basicamente dois tipos de negócios em relação à sua utilidade:

a. Solução de problemas: Pessoas precisam encontrar informações, então você cria um sistema de busca que retorna páginas da internet de acordo com as palavras buscadas. Ou seja, o Google.
b. Ligação empática: Empatia significa compreender o outro. Muitos negócios trabalham em cima de características humanas muto simples. Por exemplo, os negócios gourmet estão fazendo sucesso porque compreendem a necessidade das pessoas se sentirem especiais. Você é aquilo que você come!

Podemos gerar utilidade em cima de quase tudo, nos baseando em um ou ambos os tipos de utilidade.

O Instagram não lida apenas com o narcisismo das pessoas, ou a necessidade de aprovação social. Através de filtros, ele começou a tornar as fotos normais em fotos interessantes. Ele resolve um problema ao mesmo tempo que ataca os medos e desejos das pessoas.

No empreendedorismo, saber o que você tem a oferecer e como seu trabalho é útil lhe ajudará a vender melhor a sua ideia.

Abandonando as definições padronizadas de trabalho

01arte

Pense em três coisas de que você precisa para abrir um restaurante.

Pensou? Provavelmente a resposta foi próxima disto:

-Um estabelecimento com cozinha
-ingredientes para os pratos
-Um chef de cozinha

Com estes itens você não estará praticamente pronto para abrir um restaurante, mas sim MAIS um restaurante, como qualquer outro.

Agora tente remover um dos itens.

Como seria um restaurante sem um estabelecimento? Talvez ele funcione apenas com entregas, ou podemos inovar ainda mais e levar o restaurante até a sua casa. Um restaurante móvel que vai até a sua casa ou evento.

E um restaurante sem ingredientes? Também é possível! Imagine um local onde os clientes levam os ingredientes e pagam apenas a taxa de serviço do cozinheiro. Poderia funcionar!

E um restaurante sem chef é possível? É o caso do chefday, um site que entrega os ingredientes nas medidas exatas para os pratos e você prepara na sua própria casa.

Segundo o livro “the 22 Immutable Laws of Marketing“, a primeira lei é justamente esta: seja o primeiro.

O problema é que todos estão querendo seguir padrões e se encaixar dentro do que já existe. Fomos criados para pensar assim, mas eu digo: pare! Pense sempre em ser o primeiro. Inove, transforme e mude o seu negócio.

Se sua definição de negócio se parece com “mais uma loja de roupa igual aquela que não posso citar”, então é hora de mudar.

Como você anunciaria o seu negócio?

01lapis

Existe uma diferença enorme quando comparamos os seguintes anúncios:

  • Compre um Lápis grafite HB, apenas R$ 1,00.
  • Coloque toda a sua imaginação no papel com o Lápis HB, por apenas R$ 1,00.
  • Toda grande ideia começa com uma anotação. Compre o Lápis HB por apenas R$ 1,00 e deixe de perder oportunidades!

Obviamente, o primeiro anúncio é o menos apelativo, mas é difícil de perceber a diferença quando é você quem está anunciando o produto.

Pensamos como desenvolvedores e criadores, então enxergamos as coisas de forma descritiva e racional.

Você deve pensar como o seu cliente e, principalmente, o que iria gerar a necessidade pelo seu produto. Troque as descrições pelos benefícios do seu trabalho. Esta é a mentalidade de empreendedorismo!

Descrições vs Benefícios

A maioria das pessoas enxerga o seu próprio negócio de forma lógica e descritiva.

Como donos, precisamos pensar no funcionamento do negócio. Tecnologias, métodos, fluxos, mercado e as características do nosso produto.

Porém, como cliente, você quer saber o que você ganha nesta história. Não importa se é um produto feito com alta tecnologia ou qualidade. Eu não ganho nada com isso! O que eu quero é ganhar tempo, dinheiro, beleza, status, poder, prazer e felicidade.

Imagine se o Facebook criasse anúncios neste formato:

“Somos uma empresa de tecnologia que visa criar redes sociais através de perfis online utilizando algoritmos e tecnologias de última geração.”

Chato e desinteressante não é? Mas a maioria dos anúncios é assim.

Cursos costumam descrever o seu conteúdo de forma intelectual, definindo o que ensinam. Para as pessoas que já conhecem o conteúdo, será interessante, mas vale lembrar que a maioria das pessoas começa um curso porque não sabe de nada.

É mais convincente dizer “aprenda arpeggios, vibratos, e sweep picking” ou “toque guitarra como um astro do rock”? É este o espírito. Pessoas querem saber onde vão chegar com o que você oferece.

Mas claro, existem exceções.

Quando verificamos que nosso público alvo é recorrente e já entende sobre o assunto, o ideal é começar a ser mais descritivo. Um guitarrista intermediário se interessará mais por técnicas do que por um anúncio vago.

O plano é que os benefícios estejam lá, em poucas palavras, para chamar a atenção. Quando você tiver o coração do seu público conquistado, comece a se preocupar com detalhes, sua história e construção de confiabilidade.

Exercícios para fixação – Empreendedorismo 1

Exercícios de empreendedorismo

1. Baseando-se no seu negócio, remova algum elemento que considera chave e veja como poderia lidar com isto. Siga o exemplo do restaurante!

2. Descubra quais são as necessidades que seu negócio supre. Diante do mercado atual, seja sincero e diga se já não existem outras possibilidades que resolvam os mesmos problemas.

3. Mesmo que o seu negócio seja o mais original, imagine que já existe outra empresa mais antiga e mais famosa. Como você mudaria a sua ideie para ganhar um mercado?

O que aprendemos e o que vem depois

Para grande parte dos interessados, o negócio já está criado. Para quê falar sobre coisas tão básicas, como escopo e objetivos se o que falta são as próximas etapas?

Da mesma forma, grande parte dos interessados tem negócios com uma renda baixa graças aos poucos clientes. A causa da falha, muitas vezes, não está ligada às questões de publicidade. Se o seu negócio é igual a centenas de outros, não existe teoria que trará resultados!

Aprendemos que você precisa resolver as necessidades dos outros. Se a necessidade já é suprida por alguém, então seu negócio estará propenso a falhar. Mesmo que sua proposta seja melhor, existe um concorrente com mais experiência e confiabilidade por ai. Como você irá provar-se melhor?

O primeiro passo para empreender com sucesso é conseguir que seu negócio se torne o primeiro em algo. Você precisa que ele se diferencie, nem que precise alterar ou remover recursos.

O segundo passo é fazer com que seus clientes saibam disto. Você deve fazer com que eles desejem o seu trabalho! Mas a maioria das pessoas não consegue perceber o quão entediante é o seu negócio, pois estão totalmente cegas e empolgadas por ser uma criação própria.

Coloque na sua cabeça: eu não quero o que você faz. Ninguém quer!

E agora que a realidade veio a tona, engula as lágrimas de decepção e entenda que é ótimo estar em um estado de falha. Você precisa partir do nada para alguma coisa e, para isto, basta criar um plano.

O próximo passo é definir o seu nicho de mercado e aprender técnicas para encontrar clientes, assim como aprender a precificar corretamente para que sua renda seja digna. Você tem 10 mil clientes, mas nenhum quer pagar muito? Então você tem 10 mil vezes mais trabalho a toa.

Vamos aprender como encontrar este equilíbrio! Mas até lá, reflitam bem e não deixem de postar nos comentários as suas dúvidas!