As Pessoas Mais Incríveis NÃO são Produtivas

woman-hand-desk-office-large

Uma pessoa que eu admiro muito é a Bel Pesce.

Quando entrei no site dela e vi os 22 projetos que ela criou, só consegui pensar o quão improdutivo eu sou.

Eu não gosto de idolatria, mas tenho muitas pessoas como referência na vida e todas elas parecem ser muito produtivas. Imagino que você sinta o mesmo, não é?

A ilusão da produtividade

people-coffee-tea-meeting-large

Mas eis o engano. A questão não é que elas produzam muitas coisas. Na verdade elas produzem tanto quanto qualquer outra pessoa. O que devemos fazer é compreender o que significa “ser produtivo”.

Pessoas em uma fábrica são muito produtivas. Mas como você deve ter percebido, a questão não é a quantidade, mas sim a qualidade. O trabalho precisa ser significativo, importante e incrível. As pessoas incríveis mudam vidas e oferecem algo de valor para as outras.

Já eu, sempre fui muito produtivo. Fiz cerca de 10 sites ou blogs que poucas pessoas ouviram falar. Tive um forum. Sei tocar guitarra, violão, baixo, bateria e piano. Sei desenhar, fazer sites, programar, fazer ilustrações e animações.

E como você já sabe, isso não me torna incrível. É apenas um monte de habilidades espalhadas que não trouxeram transformação ao mundo.

A maioria das pessoas segue um caminho de especialista. Não fazem coisas variadas, fazendo apenas uma coisa por anos, o que resulta em quantidade, mas não necessariamente qualidade.

A questão, como você pode ver, é o impacto do seu trabalho.

Saiba o Por Quê

pexels-photo-103123-large

Esqueça o QUANTO ou O QUE. Foque no POR QUÊ.

Pessoas inspiradoras trabalham apenas em cima do seu propósito. A maioria delas é famosa por fazer uma única coisa incrível.

Ser improdutivo é natural, mas só é saudável quando estamos dentro do nosso propósito. Se você decidir trilhar o caminho correto, é provável que você não precise fazer mais do que uma única coisa bem feita.

Isso não quer dizer pouco esforço. Quer dizer esforço concentrado.

Se você quiser saber o motivo do abismo que te separa das pessoas que inspiram, comece se perguntando: por que eu faço o que eu faço?